Aphex Twin

Aphex Twin

Biografia

Aphex Twin, nome artístico de Richard David James (Limerick, 18 de agosto de 1971), é um DJ e produtor de música eletrônica, nascido na Irlanda, mas criado na região da Cornuália, Inglaterra. Foi considerado pelo jornal inglês The Guardian como "a mais influente e criativa figura da música eletrônica contemporânea.

 
Seu trabalho é marcado por linhas harmônicas sombrias e elaboradas, batidas originais e abrasivas e pela originalidade da textura dos sons que cria. Utiliza diversos outros codinomes, tais como AFX, Bradley Strider, Caustic Window, Gak, Polygon Window, Power Pill e Q-Chastic.
 
James é filho de Lorna e Derek James (que participam no disco "Drukqs", na faixa "Lornaderek", cantando Parabéns Para Você para o "meu pequeno filho de 28 anos"). Quando adolescente, trabalhava como DJ em Cornwall. É reputado como verdade que ele tinha pouco contato com música e que criava seus próprios instrumentos (com conhecimentos adquiridos através de cursos sobre eletrônica feitos por correspondência). De fato, ele já disse em entrevista que a única música que o influenciou foi a dele próprio. Se isso for verdade, o aclamado álbum “Selected Ambient Works 85-92”, de 1992, teria começado a ser feito quando James tinha apenas quatorze anos e de forma totalmente isolada.
 
Em 1991, James criou com Grant-Wilson Claridge (amigo de Cornwall) o selo Rephlex, pelo qual lançou seu EP, "Analogue Bubblebath III" (cujos títulos de todas as faixas são números decimais). Depois de se mudar para Londres, passou a produzir para a Warp Records.
 
 
Obra e conexões
A música de James, como Aphex Twin, varia basicamente entre a placidez do ambient e a violência do drill and bass (furadeira e baixo, em tradução livre, alusão ao drum and bass). Alguns de seus melhores resultados acontecem quando ele mistura ambos os estilos. É possível perceber ecos de Erik Satie, John Cage, Kraftwerk e Brian Eno na obra de James. Outros, como Squarepusher (também da Warp Records) e The Orb tem aproximações parecidas. Nine Inch Nails, Radiohead, The Prodigy, também têm sons assemelhados aos de James. Em relação a última, certa vez ele disse que nunca sairia em turnê com a banda, "uma vez que não gosto deles".
 
Apesar de ter apresentado várias inovações criativas e ser um dos primeiros músicos a utilizar computadores e softwares para compor música, Richard não só marcou sua obra pelo apelo técnico típico do gênero eletrônico, mas também se destacou pelas belas melodias que estruturam sua composições.
 
Um de seus discos mais controversos, “Drukqs”, de 2001, trouxe a tona não só canções eletrônicas compostas em computador, altamente complexas e ricas em detalhes, mas também mostrou a sensibilidade de James ao apresentar faixas compostas em piano, de forma minimalista. Críticos aclamaram as belas músicas, inesperadas de um compositor de seu tipo. Duas dessas canções em piano foram usadas por Sofia Coppolla em seu filme “Marie Antoinette”.
 
Personalidade
-James vive uma vida relativamente isolada e, quando dá entrevistas, costuma ser excêntrico, mentiroso e confuso.
 
-Entre diversas lendas surgidas sobre ele, ao menos três são verdade. Ele realmente tem um tanque de guerra norte-americano de 1950 e um pequeno submarino russo. De fato, ele mora em um banco da HSBC convertido em residência. Reza a lenda que James vive nos cofres, que também usa como estúdio.
 
-Quanto ao uso de drogas, diz que já experimentou diversas, mas que nunca trabalha sob o efeito de nenhuma.
 
-Existem relatos de que ele se veste de maneira rústica, e repórteres já declararam em matérias que ele usa roupas velhas e rasgadas, mesmo em shows.
 
-Usualmente James não fala, acena ou dança durante suas performances ao vivo. Muitas vezes ele nem ao menos faz contato visual com o público, outras vezes toca na escuridão ou no fundo do palco.
 
-Quando veio ao Brasil para tocar no Free Jazz Festival de 2001, a maioria do público não percebeu que ele tinha começado a tocar e ele só pôde ser visto perante as pick-ups uma hora depois de começada a apresentação.
 
Música
-Existem alguns álbuns que circulam pela internet, mas que nunca foram de fato lançados (como “Analogue Bubblebath V”, “Melodies from Mars” e “Q-Chastic”). James não se pronuncia publicamente sobre estes álbuns. No caso do EP “Q-Chastic”, mesmo as versões encontradas em programas de compartilhamento como o Soulseek são falsas.
 
-Não se sabe se é verdade que ele teria mais de 100 horas de material inédito.
 
-Quando perguntado sobre o termo Intelligent Dance Music (IDM), disse: "Eu acho muito engraçado existirem termos como este. É como dizer: 'isso aqui é inteligente e todo o resto é estúpido'. Este tipo de coisa me faz rir. Eu não uso nomes. Eu só falo se gosto ou não de certa coisa".
 
-Amigos também confirmaram que seus conhecimentos sobre eletrônica são suficientes para ele poder construir seus próprios sintetizadores - e aí estaria um dos segredos para as texturas sonoras que produz. Também declarou (durante os anos em que mais compôs com computadores) que amigos escreviam softwares exclusivamente para ele, ou ele mesmo modificava outros já existentes.
 
-Rumores dizem que algumas de suas músicas foram compostas através de algoritmos matemáticos criados por ele.
 
-No álbum “26 Mixes for Cash” (2003) existem músicas que constam como remixes, mas que na verdade são criações do próprio James. Após modificar tanto do material original, o produto final pouco lembra um remix. Segundo ele mesmo, nunca ouviu algumas músicas que remixou nesse álbum.
 
-Ainda no “26 Mixes for Cash” (2003), o título da faixa "SWA2 CD1 TRK2 (original version)" é uma abreviação para "Selected Ambient Works II, CD 1, Track 2". Esta faixa, no “26 Mixes for Cash”, tem batidas e diversos elementos ausentes na versão "oficial" do “Selected Ambient Works II” (1994). Assim, pode-se supor que todas as faixas deste álbum de 1994 (feito apenas de texturas e quase sem batidas) eram, originalmente, muito mais ricas. Isso corrobora a tese de que o disco foi uma ironia intencional de James para com o sucesso perante a crítica do álbum anterior.
 
-Oficialmente, as faixas do “Selected Ambient Works Volume II” não têm nome (com exceção de "Blue Calx"). Assim, os títulos que circulam pela internet para as músicas foram criadas por fãs a partir das imagens relacionadas a cada faixa presentes no encarte do álbum. Um bom é exemplo "Paralel Stripes", cuja imagem exibe dois traços paralelos.
 
-Fãs afirmam ser possível sincronizar os dois discos do álbum “Druqks”. De fato, eles têm duração quase idêntica.
 
Álbuns
“Analogue Bubblebath III” (1992)
“Selected Ambient Works 85-92” (1993)
“Selected Ambient Works Volume II” (1994)
“...I Care Because You Do” (1995)
“Richard D. James Album” (1996)
“Drukqs” (2001)
“Chosen Lords” (2006)
 
EP e compactos
“Digeridoo” (1992)
“Xylem Tube EP” (1992)
“On/On Remixes” (1993)
“Ventolin/Ventolin Remixes EP” (1995)
“Donkey Rhubarb” (1995)
“Girl/Boy EP” (1996)
“Come to Daddy EP” (1997)
“Windowlicker” (1999)
“Analord 10 in the Analord Series” (2004)
 
Promos e compilações
“Words & Music” (1994) (Entrevistas e faixas de Selected Ambient Works Volume II)
“Classics” (1995) (Compilação dos primeiros singles, faixas raras e ao vivo)
“51/13 Singles Collection” (1996) (Austrália e Japão - apenas lançamento)
“Cock 10/54 Cymru beats” (drukqs promo)
“26 Mixes for Cash” (2003), Compilação de materiais remixados de outros artistas, mais faixas originais
“2 Mixes on a 12" for Cash” (2003), um 26 Mixes promo
“Falling Free, Curve Remix” (2005), um 26 Mixes LP
 
Discografia sob outros codinomes
AFX
 
“Analogue Bubblebath” (1991)
“Analogue Bubblebath 2” (1992)
“Analogue Bubblebath 3” (1993)
“Analogue Bubblebath 4” (1994)
“Analogue Bubblebath 5” (1995 não-lançado)
“Analogue Bubblebath 3.1” (1997)
“Hangable Auto Bulb” (1995 EP, 2005 CD)
“Hangable Auto Bulb 2” (1995 EP, 2005 CD)
“2 Remixes By AFX” (2001)
“Smojphace EP” (2003)
"Mangle 11 (Circuit Bent V.I.P. Mix)" (aparece em Rephlexions, álbum de compilações de 2003)
“Analord” (série de EP, basicamente como AFX) (2005)
“AFX/LFO” (álbum dividido entre AFX/LFO) (2005)
 
Bradley Strider
 
“Bradley's Beat” (1991)/(1995 re-lançamento)
“Bradley's Robot” (1993)
“Caustic Window”
 
“Joyrex J4” (1992)
“Joyrex J5” (1992)
“Joyrex J9“(1993)
“CAT 023” (não lançado, apenas 4 unidades prensadas)
“Compilation” (1998)
 
Gak
 
“GAK” (1994)
Universal Indicator séries com Mike Dred:
 
“Universal Indicator: Red” (1992)
“Universal Indicator: Green” (1993)
“Universal Indicator "Blue" (1992) & "Yellow" (1992) são obra de Mike Dred
 
Polygon Window
 
(Surfing On Sine Waves) (1993, relançado em 2001)
(Quoth) (1993)
 
Power Pill
 
“Pac-Man” (1992)
 
Q-Chastic
 
“Q-Chastic EP” (1992 não lançado)
 
 
Outros
 
“Melodies From Mars” (1995, este é um um álbum de James, nunca lançado, mas dado de presente a amigos da Rephlex e da Warp em cassetes C-90). Este álbum, supostamente, inclui seleções entre mais de 200 faixas que James teria oferecido a companhias para usar como trilha sonora de video-games .
*Com Squarepusher, contribuiu com "Freeman Hardy & Willis Acid" para a compilação da Warp WAP100.
*Como "Rich" de "Mike and Rich" no álbum Mike & Rich ("Mike" being Mike Paradinas, também conhecido como µ-ziq)
*Uma versão remixada de afx237 v7 do álbum “Drukqs” foi usada como trilha sonora do filme "Rubber Johnny", dirigida por Chris Cunningham.
*O logo "AFX" aparece nos games 'Worms Armageddon' e 'Worms World Party'.
"The Diceman" - Polygon Window (Track 1) - Artificial Intelligence - (Warp 6) - Compilation lançado pela Warp Records em 1992
*Acoustica: Alarm Will Sound Performs Aphex Twin (2005), tocado por Alarm Will Sound
 

Artistas Relacionados

Posts Relacionados