Andrew Bird - Soldier On

Andrew Bird - Soldier On

O homem-pássaro, não o personagem que passava em desenhos animados nos anos 80, e sim o experiente, versátil e fabuloso multi-instrumentista de Chicago, está colhendo os louros que obteve com o disco de 2007, ‘Armchair Apocrypha’. E nada melhor para isso do que a realização de turnês. Fãs ávidos querem cantar as músicas do álbum que tanto ficaram recordadas em suas mentes. De canja, também esperam ouvir alguma canção nova e que possa ser futura componente de um disco vindouro. De qualquer forma, os fãs não saem desapontados de seus shows, pois podem adquirir um EP com 8 canções, o ‘Soldier On’. Tal produto fonográfico, claro, só é vendido nos shows de Andrew. Provavelmente, não será em lojas.

Logo de início, ‘The Trees Were Mistaken’ é a música que nos dá segurança e alento, pois é uma prova cabal do que Andrew pode fazer no próximo álbum. Poderia muito bem ser a décima terceira faixa do seu disco anterior. Melhor que não tenha sido e que você possa curti-la agora. Em 6 minutos e meio, um ciclo sonoro intermitente envolvendo assovios, violinos quase oníricos, a voz soberba e elegante do músico, ingênuos ú-ú-ús e lá-lá-lás se revezando. Nada diferente do que já ouvimos, mesmo assim, tudo que ainda esperamos de Bird. ‘Sic Of Elephants’ é envolvida por um tom mais lírico, apresenta percussão mais lenta – quase imperceptível, e é moldada sobre um instrumental límpido. Semi-silenciosa sem perder o charme. Ouça com um bom fone de ouvidos, sempre aconselho isso.

‘The Water Jet Cilice’ ganha uma nuance mais folk, cordas bem elaboradas acompanhando a voz pungente do músico. Temos as já conhecidas dos ouvintes: ‘Plasticities’ e ‘Heretics’. A primeira aparece sob formato de um remix – por sinal, bem comportado, pois quase não há mudanças na estrutura da música. Por outro lado, a segunda se consiste numa versão acústica (early version) e que seria a escolhida a entrar no ‘Armchair Apocrypha’. Embora ambas sejam bem conduzidas, prefiro o peso que foi adicionado à segunda versão, a que ficou no álbum.

A diminuta ‘Sectionate City’ nos remete a algo das experiências mágicas de um Vini Reilly (aka Durutti Column). Com o título gigante ‘How You Gonna Keep’em Down On The Farm’, Andrew nos brinda com mais uma pérola acústica permeada por belos dedilhados de cordas, violinos e pelos assovios inesquecíveis do músico. Momento sereno de um artista que almeja deixar nossos campos cerebrais em paz e confortados. Sem medo ou vergonha de assumir suas influências (visíveis), Bird fecha o disco com uma cover de Bob Dylan, ‘Oh Sister’. E olha que o músico faz jus ao nome e à história que o velho Bob carrega.

Para quem deseja conhecer o trabalho do músico, aconselho ir direto para o disco com 12 faixas de 2007. Esse EP é como um paliativo para quem queria mais de Andrew, e até mesmo uma promessa de que algo bom ainda está por vir. A julgar pela linda música de abertura, temos plena consciência de tal fato. E não exija muito desse EP. Deixa o homem ganhar seu pão fazendo suas turnês e ficamos esperando o sucessor de ‘Armchair’. E sim, a capa é bonita e deixa a imagem da ave do ‘Armchair’ em segundo plano. Na minha sincera opinião. Apesar do músico ser uma ave de maravilhoso canto.

Artista: Andrew Bird
Disco: Soldier On
Gravadora: Fargo

Nota: 7,2