Open Season

Álbum
/
2005
/

Faixas

  • It Ended On An Oily Stage
  • Be Gone
  • How Will I Ever Find My Way Home?
  • Like A Honeycomb
  • Please Stand Up
  • North Hanging Rock
  • To Get To Sleep
  • Victorian Ice
  • Oh Larsen B
  • The Land Beyond
  • True Adventures

Reviews

O British Sea Power já havia chamado a atenção com seu primeiro álbum, intitulado "The Decline Of British Sea Power" (2003), agora a banda inglesa liderada pelos irmãos Yan (voz/guitarra) e Hamilton (baixo), apontada também como uma das grandes promessas do rock britânico, chega ao segundo trabalho chamado "Open Season", lançado no Brasil pela gravadora Trama.

A banda trilha seu caminho com reflexos dos anos 80, influências de David Bowie, Smiths, Bunnymen, às vezes até Suede, além de rechear este álbum com boas baladas. O álbum composto por onze faixas, se destaca pelos detalhes sonoros de cada canção, longe de ser um álbum pop "descartável", "Open Season" deixa a impressão de músicas bem elaboradas, quase sempre com toques encantadores, porém, para isso é necessário do ouvinte mais de que uma simples audição.

A primeira faixa "It Ended On An Oily Stage", soa como se David Bowie cantasse com o Echo & The Bunnymen, em seguida "Be Gone", traz um pop suave com refrão marcante, "How Will I Ever Find My Way Home?" revela um lado Morrissey/Smiths na composição e no modo de cantar, e ainda conta com um dos melhores momentos entre guitarra e bateria.

As faixas seguintes, como "Like A Honeycomb" e "Please Stand Up" trazem uma banda mais do que eficiente, firmando sua sonoridade. A lenta "North Hanging Rock" começa suave e ganha corpo, tem seu momento épico até se desfazer no silêncio.

Outra faixa de destaque é "Oh Larsen B", principalmente pela linha de baixo e guitarra, a escola de Peter Hook mais uma vez representada pelas novas bandas.

"Open Season" termina com "True Adventures", em seus quase oito minutos de duração, soando como se a calmaria duelasse com a tempestade. Esse é o segundo álbum do British Sea Power, que longe dos holofotes vai se firmando como uma das bandas mais importantes da nova cena musical, seus dois trabalhos comprovam que o caminho está sendo traçado de forma sublime, resta saber se o British Sea Power terá seu lugar ao sol, ou se ela continuará como coadjuvante em meio aos excessos do primeiro time.